Um Kobo, alguns livros e uma quase resenha

por Yasmin
8 comentários

Neste Natal, o Papai Noel – leia-se, a minha mãe – decidiu ser bem generoso comigo. Além de uma bicicleta verde-água linda-de-viver que tem até cestinha, ganhei também um Kobo Glo na metade de dezembro. Fiquei tão empolgada com o ereader que, depois de ler quatro livros em duas semanas, decidi fazer uma espécie de resenha dele por aqui. Não é nada inédito e você pode ver que a internet está cheia de reviews, mas acho que vale registrar aqui as minhas impressões sobre o bichinho que queria há tempos.

Depois de quase fazer um empréstimo e vender minha alma para pagar xerox na faculdade, decidi que não valia mais a pena só fuçar nos aparelhos sempre que passava em alguma Livraria Cultura. “Talvez realmente valesse a pena comprar um desses”, comecei a me convencer. O próximo passo era escolher o modelo. A família Kobo conta com diversos integrantes, cada qual com sua funcionalidade. Tem o Kobo Arc que é também um tablet Android; ou o Kobo Aura HD que, como o nome já diz, tem uma tela com mega resolução. Eram bacanas, legais e simpáticos… Mas era um pouco demais. Até no preço.

E eu queria algo simples, que me possibilitasse carregar sempre comigo vários livros, fosse passatempo ou relacionado ao curso de Jornalismo. O Kobo Mini pareceu bem sedutor de início, com sua praticidade que cabe no bolso. Acontece que esse modelo não possui entrada para cartão SD – que permite expandir a memória do aparelho –, nem tampouco iluminação. Sem contar que, pegando o Mini nas mãos percebi que era realmente mini. O modelo escolhido, no fim, foi o Glo. Simples, mas que atendia a todas as minhas necessidades. É leve o suficiente para carregar para cima e para baixo, ler durante meus trajetos no transporte público ou antes de dormir. Em qualquer horário ou local, confortavelmente. O aparelho é bem leve e gostoso de segurar, a parte de trás é emborrachada e os dedos não escorregam ou qualquer coisa do tipo. Além disso, ele é bem minimalista: na parte superior tem apenas os botões de controle de luz e on/off. Tem ainda entrada para cartão microSD (que eu ainda não tenho, mas não tem sido um problema!).

Kobo_001 Kobo_012Kobo_010 copy

A interface segue o design do aparelho, e é bem simples de navegar. Mostrei esses dias para minha avó e, em poucos minutos, até ela entendeu como funcionava o esquema todo. Para comprar livros também é bem fácil, dá para fazer direto pelo aparelho com o catálogo da Livraria Cultura. Mas, se você prefere baixar ebooks gratuitos e só inserir, também não tem neutra alguma! Para tornar a leitura mais agradável, o Kobo permite que você modifique a fonte, tamanho, espaçamento e até margens conforme sua preferência. E a bateria dura MUITO! Já li quatro livros completos e não precisei carregar nem uma vez, ainda está na metade :) E, a maior parte das vezes, li antes de dormir, com as luzes acesas. (o que obviamente consome mais bateria).

Também tem aquelas coisinhas que todo eReader hoje em dia tem, mas que quebram um bom galho: pesquisa dentro do livro, anotações e dicionário. A parte mais legal é que ele tem uma seção com suas estatísticas de leitura. Lá você pode ver quantas horas já leu, a quantidade de páginas viradas, livros concluídos e etc. Tem até umas conquistas que você destrava como ler de madrugada ou durante 2h seguidas! São bobeirinhas muito legais.

Kobo_005 Kobo_006 Kobo_008Kobo_009* Não faço ideia do motivo pelo qual ele consta que li quatro livros (a trilogia de Jogos Vorazes + O Chamado do Cuco) mas diz que estou lendo Jogos Vorazes ainda, deu algum bug porque foi o primeiro livro que li. Vou sincronizar depois e resolver isso!

Essa resenha não fica completa enquanto eu não falar sobre a iluminação do Glo, uma vez que é seu maior diferencial do modelo anterior, o Kobo Touch. Li tanto durante o dia quanto de noite, em pleno escuro, e posso dizer que a iluminação do Kobo Glo é ótima! Não cansa a vista, uma vez que ele não reflete a luz como tablets ou computadores e dá para ajustar facilmente o brilho.

Ainda não coloquei PDFs nele (grande parte dos meus textos de faculdade é disponibilizado nesse formato), mas assim que fizer atualizo aqui com as impressões. Mas sei que a tela não se ajusta perfeitamente, pelo que li por aí. Sinceramente, não me importo muito. Desde que eu não tenha que gastar toda a cota de impressão e mais o dinheiro do bolso com textos da faculdade, está tudo bem. Uma coisa que me irritava um pouco assim que comecei a mexer é que se você encosta no canto esquerdo da tela, ele automaticamente volta para a página anterior. Isso era um problema no começo, já que eu sou canhota E estabanada. Mas foi só até perceber tinha como configurar essa característica, e agora sempre que encosto no canto esquerdo ele avança para a página seguinte.

Kobo_011 Kobo_002 Kobo_003 Minha irmã me deu essa capinha fofa para levar o eReader em segurança na bolsa. É uma graça, fica parecendo uma agenda e protege a tela de riscos (eu sempre jogo tudo na bolsa de qualquer jeito, com certeza ia acabar riscando com alguma chave ou algo do tipo). Ela tem uma textura emborrachada por fora que, por conta da minha falta de cuidado, já está toda marcada no verso (acho que guardei o Kobo junto com o carregador do celular). Mas antes a capinha do que o Kobo, né?

Antes que alguém me pergunte, não, eu não vou trocar livros de papel pelo e-reader. Aliás, acho isso uma coisa muito besta de se perguntar, porque embora eu realmente goste de livros em sua forma ‘pura’, acho que é mais importante que você possa ler, independente do suporte. Seja ele um livro de papel, um eReader, uma tela do computador ou até um panfleto. E, para fechar o post, deixo aqui este texto ótimo da Emi, do Iemai, sobre como a forma física na qual o conteúdo se expressa não importa, desde que você leia e aproveite essa experiência.

Posts Relacionados

8 comentários

Dasty-Sama 25 de December de 2013 - 16:47

Ahhh estou louca para comprar um e-reader ? Acho que isso facilitaria muito minha vida, ainda mais por ter dezenas de PDFs salvos no computador. Sua resenha foi ótima e se algum dia for optar por um Kobo, escolherei o Glo. Já li esse post da Emi antes e realmente ela falou tudo. Acho que se você é realmente amante de livros, lê eles em qualquer tipo de lugar, independente se é em papel, pdf ou e-reader. Eu mesma já li tanto PDF no computador por falta de dinheiro para comprar livros.

Responder
Yasmimis 26 de December de 2013 - 10:24

Nossa sério, eu pensei que não fosse fazer muita diferença no começo mas tenho lido BEM mais e adorando. Posso levar livros imensos sem estourar a alça da bolsa <3 <3 (isso já aconteceu algumas vezes). É bem isso, quantas noites eu não virei lendo Harry Potter na tela do computador, gente. Claro que possuir os livros, sentir o papel e virar as páginas é uma delícia. Mas a gente nunca deve esquecer que a história impressa ali dentro é o que conta! Sobre os eReaders, tem também o Kindle Paperwhite, que é a versão da Amazon do Kobo Glo :) No meu caso, eu preferi o Kobo por uma questão estética, mas falam muito bem do Kindle também!

Responder
Flávia Bianquini 26 de December de 2013 - 08:05

Quero muito um e-reader, mas falta-me grana! Quando você ler um PDF pode adicionar um parágrafo na resenha? Gostaria muito de saber pois a maioria dos meus textos (principalmente da faculdade) estão nesse formato. Amei a cor e modelo da capinha :07:

Responder
Yasmimis 26 de December de 2013 - 10:26

Sei como é! :( Eu estava namorando o Kobo desde a metade do ano, e ele só veio parar nas minhas mãos por causa de um milagre de Natal heushudhe. Pode deixar que assim que eu adicionar um PDF atualizo a resenha e te aviso! O kobo é todo fofo, né? Você precisa ver, na embalagem vem um adesivo protetor de tela com carinha para ele.

Responder
Joana V. 27 de December de 2013 - 16:13

Olá Mimis!

Primeiramente Feliz Natal e Ano Novo… Já tinha visto a resenha da Marcela, e achei bem legal, a sua também é muito boa, eu ja tava pensando em pegar mas não sabia qual, agora com seu post acho que também vou pegar o Glo, sorte de uma Livraria Cultura perto da casa do meu pai, acho que vou comprar o meu no ano que vem, mas vou esperar até o meio do ano…

Parabéns pelo ótimo presente, dava com saudades do seu blog, minha net tava meio ruim e fiquei fora do ar! :16:

Responder
Yasmimis 27 de December de 2013 - 22:28

Oi Joana!

Pois é, meu blog ficou um tempo fora do ar mesmo (eu esqueci de pagar a hospedagem, opa! Ainda bem que já foi tudo resolvido). Que bom que você gostou da resenha. Meu namorado acabou de ganhar de Natal o Kobo Arc, que é também um tablet e colorido. Fucei um pouco, se quiser te digo minhas impressões sobre ele também :) Mas o Glo já me possibilita tudo que eu quero, que é ler de forma prática. Super recomendo.

Fico feliz que venha ao meu blog e goste dele <3 Obrigada pelo carinho e pela visita.
Boas festas para você também~

Responder
Joana V. 8 de January de 2014 - 12:34

Eu ainda não conhço o Kobo Arc, mas eu acho que vou pegar o Glo mesmo… na verdade é mais pra mim poder ler os livro que eu não consigo comprar e mangás, por que não gosto de ter mangás espostos, ao contrário do meu irmão, por isso prefiro o glo.

Responder
Yasmimis 28 de January de 2014 - 19:32

O Glo é ótimo! Super simples e fácil de usar, levo para todos os lugares desde que ganhei.
Espero que você goste :)

Responder

Comentar

:18: :17: :16: :15: :14: :13: :12: :11: :10: :09: :08: :07: :06: :05: :04: :03: :02: :01: