the loneliness inside me is a place

Em 03.08.2016   Arquivado em Ensimesmada

will all my twenties find me so guarded?
littered and documented by meticulous word choice and closed lips
to read like:

all things bear this
a purpose! or romance!

but the truth is much more complicated than that
and i am still trying to learn how time is a gift
(as much as it is a burden)

loneliness

Cada dia tem sido mais fácil que o anterior, mas nem por isso menos pesado. Posso não fazer mais que uma ida ao supermercado para comprar manteiga, mel e azeite, mas ainda sim vou dormir com o corpo cansado ao deitar. A sensação que tenho é que tudo é muito mais intenso por aqui. Não pelo lugar em si, mas pela situação. Outro país, outras pessoas, outros comportamentos, outras dinâmicas.

Longe de tudo aquilo que traz segurança. E a gente se pergunta ‘será mesmo que essa segurança existia? ou será que a gente só se agarra nessa crença agora que está distante?’. A gente se pergunta um monte de coisas, na verdade.

O tempo todo.

A gente se agarra ao Cem Anos de Solidão, o único a me acompanhar nessa loucura, buscando conforto ali nas palavras, como a gente faz todos os anos desde a dedicatória de 2008, quase como uma tradição.

O bichinho da solidão nunca tinha se alojado dessa forma aqui dentro antes, e esse ‘estar longe’ chega a ser uma sensação física ao invés de um sentimento, como disse sabiamente Letícia. Claro que eu já tinha me sentido assim durante esses vinte e quatro anos (mais vezes do que gostaria de admitir). Mas não assim, se é que você me entende.

Pelo menos, dessa vez, dá para dividir o peso. A gente tá aqui, segurando a mão um do outro, nos passeios ao parque e nos tropeços da vida. García Márquez me sussurra “Para mim bastaria estar certo de que você e eu existimos neste momento.” Ele está certo, mais uma vez.

* o título do post é também a música que vem a seguir, que descobri nessa playlist maravilhosa que une tudo que mais gosto – vocal feminino e músicas tristinhas – chamada “Girls Invented Emocore, and the Pop Punk too”. Não nego nem confirmo que só esteja ouvindo isso no repeat.